notíciasDestaque Opinião

Burocracia estatal ainda prejudica empresas a pagarem impostos

06/11/2017 9:24 AM / Editorial / Atualizado em 06/11/2017 9:24 am

Falar que a máquina pública no Brasil se destaca pela  sua ineficiência é algo comum. Contudo, isso afeta inclusive o poder de arrecadação do Estado. A prova disso é o relatório do Banco Mundial, divulgado na semana passada, sobre ambiente de negócios em todo o mundo. Enquanto a média, na América Latina e no Caribe, é de se gastar 332 horas para preparar a documentação para registrar uma empresa e pagar impostos, no Brasil esse número é seis vezes maior: 1.958 horas. O País é o campeão mundial neste quesito, infelizmente.

Em tempos de crise econômica, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, defende um forte e duro pacote econômico para melhorar a arrecadação da União e equilibrar as contas públicas. Até aqui, apesar de conseguir aprovar algumas reformas, como a Trabalhista e a Lei das Terceirizações, a gestão de Michel Temer não emplacou a Reforma da Previdência, principal projeto de Governo e o maior temor da classe trabalhadora, que terá de esperar mais tempo para se aposentar, em uma época em que o desemprego está em alta.

Como é possível um empresário precisar de 81 dias somente para conseguir se organizar para pagar impostos, sendo que é urgente a melhora na arrecadação por parte dos entes federativos? A burocracia estatal é danosa para a própria economia do País, que está em frangalhos desde meados de 2014. Uma reforma tributária se faz mais que necessária, porém, neste tema, normalmente, o foco fica apenas para os possíveis reajustes de tributos. Entretanto, mais importante seria desburocratizar os procedimentos de pagamento de impostos para empresas, ajudando a dar mais fluxo à economia e, além disso, fomentar a possibilidade de novos negócios. Para o Banco Mundial, a produtividade no País pode avançar se resolver este problema.

SiteLock