notíciasCidade

Câmara Municipal recicla 600 kg de lixo por mês

06/07/2017 9:45 AM / Eurico Cruz / Atualizado em 07/07/2017 10:18 am

Um trabalho iniciado em 2013 por funcionários do Legislativo resultou na reciclagem de 600 quilos de lixo da Câmara Municipal por mês. O material é separado e entregue para a cooperativa de catadores Coop-reciclável, que funciona na Vila Barros.

“É um trabalho que visa não só o recolhimento do material reciclável, mas também a conscientização dos funcionários da Casa”, disse Diego Lucena de Medeiros, atual presidente do grupo de trabalho responsável pela coleta seletiva.

Como a maior parte do lixo da Câmara é reciclável, medidas como o uso de uma caneca própria, com intuito de evitar o copo de descartável, e mesmo o reaproveitamento de dois lados de uma folha de sulfite é incentivado. Todo processo também atende à Lei Federal 12.305/2010, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos.

“Quando começamos o trabalho fizemos uma parceria com a Secretaria de Serviços Públicos para aprender toda a expertise da coleta seletiva”, explicou a jornalista Renata Moreira, primeira presidente do grupo de trabalho.

Recolhido e juntado o material, um caminhão da cooperativa passa toda quinta-feira para retirar os recicláveis. A Câmara não recebe nenhum valor por separar o material, mas a cooperativa vende por R$ 0,45, em média, o quilo de papel a ser reciclado. Em 2016, foram repassados 7,2 toneladas de recicláveis do Legislativo.

Preparo – Material é levado para cooperativa, onde catadores fazem triagem para depois realizar a venda (Foto: Lucas Dantas)

“Coleta seletiva cria mais empregos”, afirma gestora

Gestora financeira da Coop-reciclável, Fabiana Maria Pinto ressaltou que a coleta seletiva gera mais empregos e ajudar a reduzir o impacto do lixo no meio ambiente.

“Hoje nós temos 72 empregos, mas já chegamos a ter 120. Se tivesse coleta seletiva na cidade esse número subiria para 150, no mínimo”, disse Fabiana.

A Prefeitura já trabalha com um projeto piloto de coleta seletiva, mas também analisa um plano conjunto de gestão de resíduos sólidos com cidades do Alto Tietê.

SiteLock