notíciasCidade

Comércio fecha 22 vagas por dia em Guarulhos

08/03/2017 9:58 AM / Raphael Pozzi / Atualizado em 08/03/2017 9:58 am

O comércio de Guarulhos fechou ao menos 22 vagas por dia, em média, somente durante o primeiro mês do ano. Foram 694 demissões a mais do que as contratações nesse setor.

Apesar de a indústria ter criado 90 postos de trabalho no fim do mês, o resultado não foi suficiente para amenizar a queda no estoque de emprego da cidade.

Ao todo, foram 9.033 demissões contra 8.331 admissões em todos os setores. O comercial foi o que teve pior saldo. A indústria e a agropecuária foram os dois únicos que conseguiram ficar positivos, com 90 e 6 vagas, respectivamente. Os dados foram contabilizados pelo índice de Evolução do Emprego do Caged, ligado ao Ministério do Trabalho e Emprego.

Para o presidente da Associação Comercial e Empresarial (ACE) de Guarulhos, William Paneque, as 694 vagas fechadas no comércio durante o primeiro mês do ano não têm total relação com os funcionários temporários contratados durante o fim de 2016. “Isso porque, em novembro, foram criados apenas 191 postos de trabalho”, comentou. Para ele, isso ainda é reflexo da recessão econômica. Mas ainda há esperança. “Este ano teremos alguma melhora no número de contratações. Pior do que está, não fica. 2017 tende a ser um melhor ano para a economia brasileira”, disse.

No caso da indústria, segundo o diretor titular do Ciesp Guarulhos, Maurício Colin, a criação de algumas vagas de empreso mostra que já existe um pé fora da crise econômica. “É uma tendência, o começo de uma virada. Acredito que, ainda este ano, voltaremos a contratar mais do que demitir”, afirmou.

Ele explicou que, quando isso acontece, os outros setores acompanham o industrial. “Geramos renda e, com isso, consumo. O comércio vai melhorar junto conosco”, afirmou. Os índices de Guarulhos seguem a tendência estadual.

Em São Paulo, os cortes chegaram a 17 mil empregos no comércio. Também houve a criação de 13,7 mil vagas na indústria. No mês, o Estado teve 4,4 mil demissões a mais do que contratações nos oito setores estudados.

Durante 12 meses, Guarulhos já cortou 12,7 mil postos de trabalho e teve uma variação negativa de 3,93% no estoque de emprego. Em números brutos, a indústria de transformação foi a que mais sofreu neste período: foram 4,5 mil desligamentos a mais do que admissões. O comércio foi o que mais demitiu, no entanto. Foram 50 mil desligamentos e 46 mil contratações nesse setor.


SiteLock