notíciasDestaque Opinião

Plano de voo dos tucanos conduz para longe do governo Temer

29/11/2017 8:39 AM / Editorial / Atualizado em 29/11/2017 8:39 am

Depois de muitas idas e vindas, está chegando a hora de os tucanos alçarem voo solo e saírem do ninho do governo Temer. O primeiro sinal veio justamente do senador Aécio Neves, que foi até então o fiel da balança para manter a parceria PSDB-PMDB na condução dos rumos do País. O parlamentar mineiro resolveu levantar a voz na direção de uma ruptura definitiva dos dois partidos. “Esse tempo, a meu ver, chegou ao limite, porque agora nós vamos tratar de construir um novo projeto. Não sabemos se será ao lado do PMDB. Provavelmente, até não. Então é hora dessa saída”, disse.

Assim, o PSDB, ainda que com bastante estridência, ruma para a almejada reformulação e para, finalmente, encontrar o seu espaço no intrincado jogo político voltado à conquista da presidência em 2018. E no centro de tudo isso está o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, que, com seu jeito sóbrio e trabalhando nos bastidores com afinco, mas sem estardalhaço, emergiu como um nome de consenso para liderar os tucanos e assumir a presidência nacional do partido. E ele já vaticionou que os peessedebistas vão realmente desembarcar do governo assim que assumir o comando do partido, na convenção de 9 de dezembro.

Este deve ser apenas o primeiro passo do paulista para dar um salto ainda maior, para se firmar como a escolha unânime do partido para concorrer à Presidência da República no ano que vem e, com as forças certas de apoio, quem sabe, se tornar o grande vencedor. É fato que Alckmin não representa o novo, mas carrega em si qualidades que faltarão a muitos dos seus oponentes, inclusive a experiência de administrar o principal Estado da Federação. É igualmente vidraça, mas tem muito o que apresentar. Por enquanto, vem conseguindo o essencial, que é mostrar sua capacidade de liderar e de costurar uma unidade dentro do divergente ninho Tucano. E isso não é uma tarefa fácil.

SiteLock