notíciasDestaque Opinião

Ponto de Vista – Um verdadeiro covil de ladrões

20/04/2017 9:43 AM / Antônio C. Frizzo / Atualizado em 20/04/2017 9:43 am

O ditado popular de que “ladrão que rouba ladrão tem 100 anos de perdão” corre o risco de não vigorar. Pelo menos, no caso da Lava Jato. O sistema de corrupção mantido pelo grupo das construtoras é um exemplo do funcionamento da política predominante no Brasil pós-democrático. A bola da vez são as construtoras. O que acontecerá quando delações envolverem outros setores, como as indústrias farmacêuticas, as empresas coletoras do lixo, as madeireiras, os esportes, as indústrias químicas, o setor da comunicação. Aí sim, a podridão aparecerá. Mas seria muito pro nosso “jeitinho brasileiro”. Fiquemos com o caldo feito com as construtoras.

Bastou um pequeno esforço da Polícia Federal e todos foram expostos. “O ilibado e endeusado pela imprensa Fernando Henrique Cardoso, o defensor dos oprimidos Lula, o santo Alckmin, a guerrilheira Dilma, o indignado Aloysio Nunes, seu amigo e presidente natural Serra, os operadores do PT, os operadores do PSDB, os negociadores do PMDB, os trânsfugas da ditadura do DEM: em suma, toda a fauna da casta política brasileira no mesmo banco dos réus”, bem sintetizou o professor Vladimir Pinheiro Safatle.

Longe das câmeras, nos bastidores, essa elite de políticos sorri, se abraça, brinda em requintados jantares, diante das denúncias dos diretores da Odebrecht. Tem a garantia que o sistema político não mudará, pelo menos enquanto estiverem no comando do Congresso e da Presidência. Uma Reforma Política capaz de pôr fim nas mazelas e pôr o País nos trilhos inexiste. Como isso não bastasse, saem em contra-ataques. Renan ousa calar a boca dos promotores públicos. O punguista Temer chama essa avalanche de “pequenas denúncias” e opera a maior onda de privatização, afronta a CLT, apressa a Reforma da Previdência e mente ao dizer que não tirará direitos dos pobres.  Diante de tal desmonte do País é bom avisar que dia 28 de abril, sexta-feira, está marcada a greve geral. Reagir é possível!

SiteLock