notíciasCidade

Salários voltam a ficar atrasados em policlínicas

11/04/2017 9:23 AM / Raphael Pozzi / Atualizado em 12/04/2017 10:30 am

Funcionários das policlínicas Maria Dirce (Região Cumbica), Paraíso (Região Taboão) e São João, na região de mesmo nome, reclamam de constantes atrasos salariais que ocorrem desde dezembro. O problema começou quando o 13º não foi quitado no dia combinado. Depois, em janeiro, o quinto dia útil não foi respeitado.

“Em fevereiro, houve o mesmo descaso. Só em março que nos pagaram. Agora, em abril, está de novo uma bagunça”, afirmou uma trabalhadora que pediu para não ser identificada. As três unidades são geridas pela Fundação do ABC desde 2015. A vigência do termo de convênio entre a instituição e a Prefeitura vai até 31 de março de 2018.

De acordo com dados do Portal da Transparência, em março, a administração pública pagou R$ 6,4 milhões para a Fundação do ABC. Segundo o instituto, a Prefeitura não realizou repasse em abril. “A informação passada pela Secretaria de Saúde é de que ‘não há previsão’”, diz a nota da fundação.

A Prefeitura admitiu culpa no atraso. “Houve um problema orçamentário de ordem burocrática e não financeira”. De acordo com a Saúde, o repasse será efetuado na próxima quinta-feira.

Sem grana – Trabalhadores convivem com atrasos desde dezembro (Foto: Beto Martins)

Vereadores investigam contrato municipal

No mês passado, a Câmara Municipal instaurou uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) para investigar o convênio entre a Prefeitura e a Fundação do ABC. A proposta foi realizada pelo vereador Alexandre Dentista (PSDC). O presidente da CEI é o parlamentar Eduardo Carneiro (PSB), que também é líder de Governo no Legislativo. O grupo já teve duas reuniões.

A CEI é encarregada de investigar fatos tidos como irregulares no município. Os integrantes têm até 90 dias para concluir os trabalhos e apresentar suas conclusões.

Após apuração, um relatório será encaminhado ao plenário. Se aprovado, o documento irá para o Ministério Público para responsabilização civil e criminal dos infratores.

SiteLock