notíciasCidade

Um terço dos medicamentos está em falta

07/12/2017 8:47 AM / Eurico Cruz / Atualizado em 08/12/2017 12:23 pm

A gestão do prefeito Guti (PSB) ainda não conseguiu sanar totalmente a falta de medicamentos da cidade. Embora a taxa de remédios ausentes já tenha sido pior no começo da gestão, com quase dois terços em falta, pouco mais de um terço dos medicamentos (36%) da cidade ainda continuam sem abastecimento, conforme levantamento feito pelo presidente do Conselho Municipal de Saúde (CMS), Antônio Luíz do Valle.

Remédios simples como Amoxilina e mesmo alguns controlados como o Diazepan, além de hipotensores (extremamente necessários para quem precisa cuidar da pressão) estão em falta em UBSs, no Ambulatório da Criança e até mesmo no Centro de Especialidades Médicas de Guarulhos (Cemeg).

Para o presidente do CMS, a burocracia também prejudicou o atendimento. “O governo Executivo, para evitar o que está acontecendo no País (de casos de corrupção), criou o Conselho de Avaliação de Licitações e Contratos de Guarulhos, no qual é necessário passar por 19 setores diferentes. Todas as compras da Secretaria de Saúde têm que passar por esta metodologia”, explicou. Toninho, como é conhecido, ressaltou ainda que outro problema é a logística, uma vez que o medicamento pode chegar atrasado a alguma UBS e ampliar a falta de medicamentos para algo entre 40% e 50%.

Herança – Saúde afirma ter herdado uma dívida de R$ 105 milhões com fornecedores e prestadores de serviço (Foto: Lucas Dantas)

Saúde pretende implementar um sistema de estoque

Questionada sobre os problemas, a Secretaria de Saúde afirmou que adota “como ações rotineiras a aproximação entre as Divisões e as Secretarias envolvidas, para dar andamento mais ágil aos processos de compras; o acompanhamento das etapas de aquisição dentro da Secretaria de Saúde e adoção de prazo para conclusão; a solicitação de outras modalidades de compras previstas na Lei ”.

A pasta ressaltou ainda ter herdado uma dívida de R$ 105 milhões com fornecedores e prestadores de serviços e, além de vir diminuindo progressivamente esse débito, estuda  todas as possibilidades para a melhoria da Assistência Farmacêutica no município.

SiteLock